Moradores de Higienópolis fazem abaixo-assinado para preservar edifício histórico

Edifício Apracs, de Artacho Jurado, que busca o tombamento (Foto Reprodução da página do Apracs no Facebook)

Edifício Apracs, de Artacho Jurado, que busca o tombamento (Foto Reprodução da página do Apracs no Facebook)

Um grupo de moradores do Apracs, prédio de 1957 de autoria de Artacho Jurado, criou um abaixo-assinado pedindo que o edifício seja tombado pelo Conpesp, o órgão responsável pela preservação do patrimônio. A iniciativa é um esforço para frear uma ampla reforma que pode descaracterizar o projeto original. Entre as mudanças, foram propostas a cobertura das pastilhas com madeira e a construção de um parquinho.

A meta dos organizadores é colher 300 assinaturas, para as quais faltam pouco mais de 40. Quem quiser participar pode acessar a petição aqui. Uma comunidade no Facebook também foi criada para falar sobre o edifício e debater o tombamento. “Nosso objetivo é apenas o de preservar essa obra relevante de Artacho Jurado e, quem sabe um dia, vê-la restaurada dos efeitos do tempo e adequadamente adaptada aos tempos modernos, sem que a sua linguagem seja danificada ou desconfigurada”, diz a página.

Batizado de Edifício Parque das Acácias, o Apracs é uma das dezenas de criações de João Artacho Jurado (1907 – 1983), empresário e corresponsável pela geração de edifícios residenciais que moldou a São Paulo moderna. Mesmo sem formação técnica e, por isso, sem poder assinar como arquiteto responsável, Artacho se tornou referência e grife arquitetônica. Em suas criações, aplicou conceitos de Le Courbusier, como pilotis e jardins nas cobeturas, misturados a pastilhas coloridas e cobogós. Foi pioneiro na criação dos condomínios-clube, equipados com uma até então inédita área de lazer.

Boa parte das obras de Artacho Jurado estão em Higienópolis, onde se concentram os principais exemplares arquitetônicos paulistanos residenciais daquele período. O bairro foi tema da Monolito, revista de arquitetura que, em seu número 19, trouxe o mapa de edifícios históricos e a narrativa de como a atual paisagem surgiu ao longo das décadas. “Em cerca de dez anos, ele (Artacho) lançou fez dez empreendimentos no bairro, com apartamentos menores do que o usual. Jurado popularizou a ‘quietude senhorial de Higienópolis’ para a classe média em ascenção”, diz o texto de abertura de Fernando Serapião.

 

0 Comments

You can be the first one to leave a comment.

Leave a Comment


Trackbacks